As relíquias de uma misteriosa civilização foram encontradas sob uma pirâmide no Peru

Por ND, 15 de novembro de 2017, referindo-se ao artigo de Valentin Cebron (29/05/17) para http://www.ulyces.co/

As cestas ornamentadas descobertas

Click!O Peru está longe de ter revelado todos os seus segredos. Centenas de milhares de artefatos que datam de cerca de 15 mil anos atrás foram encontrados por arqueólogos sob a antiga pirâmide da Huaca Prieta, um sítio arqueológico no Vale Chicama.

A qualidade desses vestígios tende a provar que uma civilização antiga existia na região e que era muito mais avançada do que os pesquisadores imaginavam!

A equipe internacional de arqueólogos revelou suas descobertas no jornal científico Science Advances o 24 de maio de 2017.

"Os artefatos recuperados incluem restos de comida, ferramentas de pedra e outros bens culturais, como cestas ornamentais e têxteis, o que nos leva a reavaliar o nivel de desenvolvimento dos primeiros homens na região, bem como o seu nível de conhecimento e de tecnologia ", diz James M. Adovasio, co-autor do estudo e arqueólogo da Florida Atlantic University.

"Eles exploravam os recursos da terra e do mar. Esses achados demonstram que esses indivíduos têm uma habilidade notável para usar diferentes tipos de recursos alimentares, aumentando o tamanho de sua sociedade e de seus componentes, como o surgimento da burocracia e de uma religião altamente organizada. "

Enquanto a primeira descoberta do sitio remonta à década de 1940, essas novas descobertas sugerem que seus habitantes adotavam várias estratégias de produção de alimentos, bem como um conhecimento da organização econômica. Alguns restos de comida, ferramentas de pedra e artefatos foram encontrados no subsolo, entre 7 e 30 metros de profundidade. Os pesquisadores planejam retornar à área no próximo ano para examinar mais de perto as cestas encontradas, algumas das quais estão entre as mais antigas descobertas nas Américas.

Ler em contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria Primeiros hominídeos publicadas no site.

Será que o homo sapiens tem 400.000 anos?
8 de janeiro de 2018

Será que o homo sapiens tem 400.000 anos?

Em Israel, arqueólogos descobriram oito dentes que parecem pertencer ao Homo sapiens em uma camada datada de 200 mil a 400 mil anos atrás. No entanto, os fósseis humanos mais antigos encontrados até agora remontam a 200 mil anos e são encontrados na África Oriental (ndlr: 300 mil anos agora em Jebel Irhoud em Marrocos!)... Durante vários anos, uma equipe de …

Será que o crânio de Dali corresponde a um Homo sapiens de 260.000 anos?
20 de novembro de 2017

Será que o crânio de Dali corresponde a um Homo sapiens de 260.000 anos?

Um cientista chinês tenta novamente deslocar o berço da humanidade para a China... Em 1978, equipes chinesas encontraram um crânio a 30 km ao norte da cidade de Dali, na província de Shaanxi, no centro da China. O crânio seria datado entre - 267 e - 258.000 anos atrás. Devido a cumes supra-orbitais …

O povoamento da América provavelmente não foi feito pelo Estreito de Bering
6 de novembro de 2017

O povoamento da América provavelmente não foi feito pelo Estreito de Bering

A questão do estreito de Bering como lugar de cruzamento dos primeiros humanos para o continente norte-americano é hoje mais e mais contestada, e em fase mesmo de ser abandonada... De fato, para alguns especialistas eminentes do povoamento da América, os primeiros colonos chegaram …

Os Neandertais sobreviveram pelo menos 3.000 anos mais na Espanha do que se pensava anteriormente

Os Neandertais sobreviveram pelo menos 3.000 anos mais na Espanha do que se pensava anteriormente

27 de novembro de 2017

Muito próximo de nós, Neandertal desaparece misteriosamente no norte da Espanha e no sul da França em torno de 40.000 BP, suplantado por um primo que provavelmente chegou do Oriente Médio dez mil anos antes: o homem de Cro-Magnon (a partir do nome de uma caverna, em Dordogne, França, onde seus primeiros ossos foram descobertos em 1868).

Os Neandertais, no entanto, sobreviveram ao menos 3.000 anos mais do que pensávamos no sul da Península Ibérica, muito mais depois da sua morte em qualquer outro lugar, de acordo com um novo estudo publicado na internet (em acesso aberto). Os cientistas não conseguiram desenvolver uma teoria comum explicando por que essa espécie de hominídeos, mais próxima de nós, desapareceu da Terra há milhares de anos, mas, por outro lado …