Havia realmente um cavalo de Tróia?

Por ND, 15 de novembro de 2017, referindo-se ao artigo de Michael Loy (19/05/17) para https://resgerendae.wordpress.com/

O vaso de Mykonos

A localização do lugar

Um pythos grego, datado do início do século VII, descoberto na ilha de Mykonos ilustra um episodio da Ilíada.

O vaso, usado como uma urna funerária, apresenta pequenas cenas de guerreiros lutando uns contra os outros. Uma das cenas mostra um cavalo gigante (feito de madeira?). Sete guerreiros em armadura olham através de pequenas janelas esculpidas no corpo do cavalo, enquanto outros sete guerreiros de armadura já desciam do cavalo e estão prontos para a batalha. Uma cena que, evidentemente, lembra a história descrita por Homero e Virgílio.

Este vaso foi produzido no momento em que os poemas homéricos foram escritos. Isso não significa que o artista do vaso de Mykonos foi diretamente inspirado pelo poeta da Ilíada, mas sim que essas idéias circulavam ao mesmo tempo nos círculos literários e artísticos. As histórias sobre as batalhas e o encenação de seus heróis nos contam sobre a então sociedade, durante a qual os aristocratas e as elites competiram pela honra e status, especialmente nos campos de batalha.

O século VII marca o início do período em que a imagem de guerras e heróis logo vai dominar a arte grega.

Ler em contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria Antiguidade publicadas no site.

Jerusalém: descoberta de um selo do governador da cidade de 2700 anos
4 de janeiro de 2018

Jerusalém: descoberta de um selo do "governador da cidade" de 2.700 anos

Esta é uma grande descoberta, de acordo com a Autoridade de Antiguidades de Israel: o selo de argila de 2.700 anos encontrado em Jerusalém foi apresentado em 1º de janeiro de 2018 como uma primeira prova material da existência de um governador nessa cidade, confirmando a referência feita a esta função pela …

Havia realmente um cavalo de Tróia?
19 de maio de 2017

Havia realmente um cavalo de Tróia?

Um pythos grego, datado do início do século VII, descoberto na ilha de Mykonos ilustra um episodio da Ilíada. O vaso, usado como uma urna funerária, apresenta pequenas cenas de guerreiros lutando uns contra os outros. Uma das cenas mostra um cavalo gigante (feito de madeira?). Sete guerreiros em armadura olham através de pequenas janelas esculpidas no corpo do cavalo …

A invasão da Bretanha insular por César começou na Baía Pegwell em Kent, segundo os arqueólogos

A invasão da Bretanha insular por César começou na Baía Pegwell em Kent, segundo os arqueólogos

29 de novembro de 2017

Segundo arqueólogos britânicos, o lugar dos desembarques dos Romanos em 54 aC na Grã-Bretanha teria sido agora identificado na Baía Pegwell em Kent. As escavações revelam os restos de um antigo acampamento defensivo, ossos e armas de ferro, o que sugere que a baía é o ponto de desembarcado mais provável para a frota romana.

A invasão da Grã-Bretanha por Júlio César foi lançada a partir das margens arenosas de Pegwell Bay, na extremidade mais a leste do Kent, de acordo com as novas evidências descobertas pelos arqueólogos. Este é o ponto de chegada mais provável para a frota romana depois que os pesquisadores encontraram os restos de um acampamento defensivo que remonta ao primeiro século aC na vizinha aldeia de Ebbsfleet, perto de Ramsgate …