É a mais sofisticada tumba de guerreiro já encontrada na Inglaterra

De Nicolas Drouvot, 30 de julho de 2019, referindo-se à noticia de Joe Stack (26/07/19) no site https://www.crawleyobserver.co.uk
bem como à noticia de Laura Geggel (24/07/19) no site https://www.livescience.com
e à noticia do 23/07/19 no site https://daily-news-media.com

Júlio César desembarcou pela primeira vez na Grã-Bretanha em 26 de agosto de 55 aC

Júlio César desembarcou pela primeira vez na Grã-Bretanha em 26 de agosto de 55 aC.

O túmulo quando foi encontrado pela primeira vez

O túmulo quando foi encontrado pela primeira vez - Crédito da imagem: Serviços Arqueológicos do Vale do Tâmisa

O capacete do guerreiro

O capacete do guerreiro

Parte do capacete do guerreiro

Outra parte do capacete do guerreiro

A espada quebrada do guerreiro de 50 aC

A espada quebrada do guerreiro de 50 aC

Parte do escudo do guerreiro

Parte do escudo do guerreiro

Click!O misterioso guerreiro, que poderia ter lutado ao lado do rei Commius na guerra de Júlio César contra os Gauleses, foi descoberto há 12 anos no complexo imobiliário de Berkeley Homes, em North Bersted.

Arqueólogos descreveram esta descoberta, que será exibida no Museu Novium, em Chichester, em janeiro de 2020, como "a mais sofisticada tumba de guerreiro já encontrada na Inglaterra".

Datado de cerca de 50 aC, o guerreiro do fim da Idade do Ferro foi cerimoniosamente enterrado com todo o seu equipamento militar: um capacete extravagante, o seu escudo, uma espada e uma lança que foram intencionalmente quebradas para torná-las "inoperantes" ou para matá-las simbolicamente.

Por causa da importância da descoberta, uma equipe de especialistas de renome mundial trabalhou com o Museu Novium, onde os objetos estarão expostos, para analisar e interpretar as descobertas para contar a história desse incrível indivíduo.

A exposição extraordinária começará em 25 de janeiro de 2020 e será a primeira vez que o guerreiro e seus bens serão expostos ao público. Ela explorará a vida, a saúde e a morte deste homem fascinante e tentará explicar algumas das questões levantadas pelas circunstâncias de seu enterro.

James Kenny, arqueólogo do distrito de Chichester, foi um dos primeiros a se concentrar nesta descoberta internacionalmente importante.

Ele disse: "Em mais de 30 anos de arqueologia, esta é a descoberta mais espetacular que já vi, graças à pesquisa científica, análise e participação de arqueólogos de renome mundial, a história desse misterioso guerreiro se ilumina pouco a pouco.

"Por causa da riqueza das descobertas na tumba, acreditamos que este misterioso guerreiro ocupou um dos papéis mais prestigiados do país. É uma das descobertas mais excepcionais deste período arqueológico particular e é de importância internacional ".

A análise do homem mostra que ele tinha um braço desproporcional, que ele teria usado para sua espada ou lança, pernas fortes, porque ele passou muito tempo a cavalo e sinais de osteoartrite no pescoço, que não podia ser aliviada por usar um capacete enorme.

Ele tinha cerca de 5 "4" de altura (cerca de 1,62 m) e tinha cerca de 45 anos quando morreu.

A Dra. Melanie Giles, professora de arqueologia da Universidade de Manchester, disse que era óbvio que o homem tinha uma vida difícil, mas não havia nenhum sinal de lesão traumática que pudesse ter matado ele.

O Sr. Kenny acrescentou: "O que distingue esta descoberta de qualquer outro enterro na Grã-Bretanha é a qualidade incrível e beleza dos artefatos e o alcance de suas posses". O guerreiro possuía uma gama completa de armas, incluindo uma magnífica espada em uma bainha decorada, lança e escudo com um largo 'umbo' de bronze.

"Uma das descobertas mais espetaculares do enterro é o enfeite do capacete, que é decorado com uma crista de bronze perfurada com um design requintado - uma descoberta única".

Clrr Roy Briscoe, membro do Gabinete de Serviços Comunitários e Cultura do CDC, disse: "Graças ao Fundo do Patrimônio da Loteria Nacional, Berkeley Homes e Irwin Mitchell, somos capazes de contar esta história fascinante.

De acordo com Melanie Giles: "Esta é verdadeiramente uma descoberta absolutamente única nas Ilhas Britânicas e em todo o continente. Não temos outro sepultamento combinando essa qualidade de armamento e arte celta, com uma data que o coloca na época da tentativa de César de conquistar a Grã-Bretanha.

"Nós provavelmente nunca saberemos o nome dele. O que a arqueologia nos ensina é que é ou um nacional do Leste da Inglaterra que talvez tenha ido lutar com os Gauleses, e sabemos que isso era um problema para César. Nós éramos os aliados dos 'Franceses', parceiros na luta contra ele.

"Ou poderia ser um próprio 'Francês' que, talvez tendo fugido desse conflito, teria chegado até nós, como em 'Asterix na Grã-Bretanha', para nos ajudar em termos de conhecimento sobre a estratégia, as táticas que ele sabia de César, tentando dividir para governar.

"Ele também traz consigo seu equipamento, armas extraordinárias, uma linda espada que não se parece com a que temos, uma nova tecnologia, um novo estilo, um design e um capacete absolutamente únicos com essas lindas cristas que o fazem absolutamente fabuloso": segundo James Kenny, ‘um capacete adornado que teria "brilhado como ouro" e que havia sido decorado com penas de crina de cavalo’.

"Isso causou medo e intimidação, você pode imaginar ele andar a cavalo, galvanizando os habitantes, treinando, ajudando a colocar em prática estratégias para tentar manter Roma o mais longe possível", acrescenta Melanie Giles.

De acordo com James Kenny, o "misterioso guerreiro" poderia ter sido um líder militar do rei Commius que fugiu da França depois de lutar contra César.

Ele disse: "Por causa da riqueza das descobertas na sepultura, acreditamos que o guerreiro misterioso tenha desempenhado um dos papéis mais prestigiados do país".

"Este misterioso guerreiro era uma figura da resistência que trouxe consigo a história da guerra e o conhecimento militar estratégico de como combater o exército romano. É uma história que ainda não foi contada e é de grande importância nos níveis local, nacional e internacional.

[Para mais detalhes sobre o ano 55 aC, veja aqui: "Linha do Tempo, 55 aC"]

[Se você gostou deste artigo, poderá gostar também desta noticia sobre a antiga presença da esfera cultural do Marne ou da "Gália Bélgica" na Inglaterra: Gauleses enterrados na Grã-Bretanha?]

Ler o texto considerado no seu contexto

Ultimas noticias

Outras noticias sobre a categoria Antiguidade [1000-1] publicadas no site.

Há 2.300 anos, esta fortaleza egípcia enviava elefantes para a batalha
30 de janeiro de 2019

Há 2.300 anos, esta fortaleza egípcia enviava elefantes para a batalha

Uma fortaleza egípcia de 2.300 anos acabou de ser descoberta perto do Mar Vermelho. Na época, essas fortificações protegiam o porto de Berenikè, enviando elefantes para a batalha. No antigo porto de Berenikè, à beira do Mar Vermelho, uma fortaleza de 2.300 anos foi descoberta …

28 de dezembro de 2018

Cavalos com mais de 2000 anos, enterrados em pé em Yorkshire

Cavalos com mais de 2000 anos, enterrados em pé em Yorkshire

Cavalos aparecendo saltar de seu túmulo cavado há mais de 2000 anos atrás foram descobertos no início de dezembro 2018 em Yorkshire.

É apenas a segunda vez que tal carroça com cavalos petrificados em posição de corrida é descoberta. Em 2013, uma equipe de arqueólogos desenterrou na Bulgária os restos de dois cavalos puxando uma carroça com mais de 2000 anos de idade. No início de dezembro, em Yorkshire, no nordeste da Inglaterra, as equipes do MAP Archaeological Practice (uma estrutura privada que realiza escavações arqueológicas no Reino Unido) descobriram uma encenação similar que data do Idade do Bronze. A descoberta ainda não é assunto de uma publicação, mas foi apresentada na BBC em 19 de dezembro. As tumbas com carro de combate são bastante …