Em Pompéia, pesquisadores encontraram um homem esmagado por uma pedra em sua fuga do vulcão em erupção

Traduzido por ND, 1 de junho de 2018, referindo-se ao artigo de Paul Guyonnet do 30/05/18 para https://www.huffingtonpost.fr
bem como ao artigo de Christophe Josset do 2/07/18 para o site https://www.lexpress.fr

Em Pompeia, os pesquisadores encontraram um homem esmagado por um bloco de pedra em sua fuga do vulcão em erupção.

Em Pompeia, os pesquisadores encontraram um homem esmagado por um bloco de pedra em sua fuga do vulcão em erupção / @pompei79 / Twitter.

O crânio foi finalmente encontrado quase intacto com uma mandíbula dentada.

O crânio foi finalmente encontrado quase intacto com uma mandíbula dentada.

Click!Os restos deste homem foram encontrados quase 2.000 anos após a erupção do Vesúvio em 79.

Uma descoberta tão dramática quanto excepcional. Em 29 de maio de 2018, equipes de arqueólogos que trabalhavam nos locais em torno da cidade de Pompeia, destruída em 79 dC pela erupção do Vesúvio, revelaram as fotos de um achado inacreditável: os restos mortais de um humano morto enquanto fugia depois de sobreviver à erupção.

De acordo com a pesquisa dos arqueólogos, o homem tinha cerca de 35 anos de idade. Abrandado em sua fuga por um problema ósseo em uma perna, ele foi esmagado e decapitado pela queda de um bloco de pedra de 300 quilos sob o qual seu esqueleto foi encontrado.

Segundo os resultados publicados pelos cientistas, os últimos momentos do homem eram particularmente terríveis. De fato, foi pego pelas nuvens de fogo do Vesúvio, estas nuvens de gás, cinzas e pedras descendendo com rapidez as encostas de um vulcão durante uma erupção.

Arqueólogos descobriram seu corpo deitado de costas, depois de ter sido decapitado pelo bloco de rocha arrancado da moldura de uma porta e que permaneceu sobre ele no momento das escavações. As análises ainda devem ser realizadas para tentar reconstituir um pouco mais fielmente os últimos momentos do desafortunado sobrevivente dos primeiros momentos de uma erupção que causou milhares de vítimas.

As equipes esperam encontrar o crânio do homem para reconstruir sua fisionomia e confirmar sua hipótese de que ele era um homem adulto de cerca de 1,60 metros. "Hoje, temos a possibilidade técnica de reconstruir o espaço como era originalmente", disse Massimo Osanna, diretor-geral do Parque de Arqueologia de Pompéia.

"Esta é a primeira vez que podemos realizar tais escavações, com nossas ferramentas atuais. Nos anos de 1800 e 1900, eles já escavaram na área onde encontramos o esqueleto, mas eles não escavaram tão profundo do que nós ".

Adendo do 21/08/18!

As descobertas iniciais dos arqueólogos sugeriram que a vítima, cujo peito estava visivelmente esmagado, havia sido morta por um bloco de pedra. As primeiras observações do crânio, que foi finalmente encontrado quase intacto com uma mandíbula dentada, poderia reverter os pressupostos iniciais.

A boca aberta e a queixada da vítima em um tremendo estado de preservação sugerem que ele não ficou chocado. Massimo Osanna, o diretor de escavações já emitiu uma nova teoria: " A nossa nova hipótese é que ele morreu de asfixia de fluxos piroclásticos ". Isso quer dizer que, em linguagem vulgar, ele foi morto pelas emanações de gases vulcânicos.

Um argumento forte apoia esta nova tese. A equipe de pesquisa já determinou que "o ex-homem mais azarado de Pompéia", com cerca de 35 anos, tem um defeito físico que o faria mancar. Portanto, é possível que sua claudicação o tenha desacelerado, tornando-o mais vulnerável a gases e cinzas nocivos.

"A parte superior de seu corpo foi encontrada muito mais baixa" do que seu torso e suas pernas... Surpreendente, mas não inexplicável: uma razão para essa "anomalia estratigráfica" vem da descoberta, ao mesmo tempo, de um antigo túnel de saqueadores cavado sob o esqueleto que teria causado esse deslizamento de terra!

A passagem é datada aproximadamente da dinastia Bourbon, presumivelmente no século XVIII. Isso é muito depois da ira do vulcão em 24 de agosto de 79. Seu colapso subseqüente derrubou alguns dos ossos, mas o papel exato da pedra maciça neste deslizamento permanece ainda a ser determinado.

No final, uma vítima não mais azarada do que as outras 1500 já exumadas em Pompeia.

Ler em contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria Roma imperial publicadas no site.

Pompéia: os restos de um enorme cavalo descoberto em uma villa romana
1 de junho de 2018

Pompéia: os restos de um enorme cavalo descoberto em uma villa romana

O cavalo morreu, enterrado sob as enormes quantidades de cinzas que mataram cerca de 30.000 pessoas e destruíram Pompéia. Agora os arqueólogos acabam de encontrar os restos deste cavalo em um estábulo, em uma villa em Pompéia. A villa está localizada imediatamente fora das muralhas da cidade …

Descoberta de um possível caso de crucificação na Itália
24 de maio de 2018

Descoberta de um possível caso de crucificação na Itália

Um esqueleto de 2.000 anos de idade descoberto na Itália poderia ser o segundo caso documentado de crucificação. Os restos de um homem crucificado foram descobertos na Itália? Isto é o que anuncia uma equipe de pesquisadores das universidades de Ferrara e Florença …

23 de maio de 2018

Descoberta excepcional de uma obra desaparecida de Sêneca, o Velho

Descoberta excepcional de uma obra desaparecida de Sêneca, o Velho

Os serviços da Biblioteca Nacional de Nápoles puseram as mãos sobre um papiro de Herculano, revelando uma parte perdida do trabalho de Sêneca, o Velho.

Com o número 1067, o papiro revela uma descoberta de grande importância. Um documento político assinado por Lucius Manlius Torquatus, um fervoroso defensor de Cícero, executado em 47 aC, revelou um texto de oração muito mais antigo. Seria o trabalho do pai do filósofo Sêneca, que morreu em 39 dC. Um novo exemplo de palimpsesto, um documento sobre o qual alguém reescreveu mais tarde. O diretor da biblioteca, Francesco Mercurio, não deixa de elogiar essa descoberta. Encontrado durante as escavações de Herculano, o papiro foi inicialmente somente uma arenga política …