Escandinávia e Inglaterra: construções de madeira de mil anos!

De Nicolas Drouvot, 6 de setembro de 2018, referindo-se à noticia de Oliver Smith (4/09/18) no site https://www.telegraph.co.uk
bem como à noticia de LA Dahlmann no site https://norwaynorge.com

As 51 tábuas de madeira que formam a nave da pequena igreja de St Andrew, na aldeia de Greensted-juxta-Ongar, foram cortadas em carvalhos ingleses por volta de 1060.

As 51 tábuas de madeira que formam a nave da pequena igreja de St Andrew, na aldeia de Greensted-juxta-Ongar, foram cortadas em carvalhos ingleses por volta de 1060 / Crédito: GETTY

Vindlausloftet - ou Stålekleivloftet - como está hoje no museu ao ar livre de Lårdal, no município de Tokke, Telemark, Noruega, perto da igreja de Eidsborg. O edifício é estimado de cerca de 1170

Vindlausloftet - ou Stålekleivloftet - como está hoje no museu ao ar livre de Lårdal, no município de Tokke, Telemark, Noruega, perto da igreja de Eidsborg. O edifício é estimado de cerca de 1170. | Foto: Harald Naper - lokalhistoriewiki.no - cc by-sa.

Igreja de Urnes Stave, na Noruega. Construída em torno de 1140.

Igreja de Urnes Stave, na Noruega. Construída em torno de 1140. | Foto: Rui Baião – adobe stock – copyright.

O edifício de madeira mais antigo do mundo é o Hōryū-ji, um templo budista perto da cidade de Nara, que foi terminado em 607.

O edifício de madeira mais antigo do mundo é o Hōryū-ji, um templo budista perto da cidade de Nara, que foi terminado em 607 / Crédito: ALAMY

Click!A igreja de madeira mais antiga do planeta? Não é no Oriente Médio, nem em uma das cidades medievais perfeitamente preservadas da Europa Central. É em Essex - e a apenas um passo de Londres.

As 51 tábuas de madeira que formam a nave da pequena igreja de St Andrew, na aldeia de Greensted-juxta-Ongar, foram cortadas em carvalhos ingleses por volta de 1060 - seis anos antes da chegada de Guilherme, o Conquistador. O edifício foi retocado desde aquele tempo, claro. O coro de tijolos foi adicionado no século XVI, sua distinta torre branca remonta ao século XVII, enquanto os vitrais são vitorianos. Mas quase mil anos depois, essas tábuas verticais permanecem in situ, tornando St. Andrew a igreja de madeira mais antiga do planeta e quase certamente o mais antigo edifício de madeira da Europa.

De fato, sua história remonta ainda mais. Arqueólogos da década de 1960 encontraram evidências de uma igreja do século VII, desde a época em que São Cedd converteu os Saxões da região ao cristianismo.

Durante o período medieval, a maioria das igrejas de madeira da Inglaterra foram reconstruídas em pedra. As duas primeiras igrejas no local da Catedral de São Paulo, por exemplo, eram feitas de madeira. Ambos queimaram e a terceira, erguida em 962, foi feita de pedra. A Igreja de Greensted pode ter sido simplesmente negligenciada porque as autoridades locais estavam com pouco dinheiro.

Uma restauração vitoriana também ajudou muito a proteger o edifício. As vigas da nave foram encurtadas e erguidas sobre tijolos porque suas bases estavam podres.

Para ver um edifício mais antigo do que uma igreja de madeira de 958 anos, você precisará visitar o Japão. O edifício de madeira mais antigo do mundo é o Hōryū-ji, um templo budista perto da cidade de Nara, que foi terminado em 607.

Os rivais europeus de Greensted incluem as igrejas de madeira da Escandinávia. Os edifícios de madeira mais antigos da Noruega têm quase 1000 anos - como o Vindlausloftet da Telemark - construído por volta de 1170. A igreja de Urnes Stave na Noruega é provavelmente a mais antiga e remonta a cerca de 1132.

A cidade suíça de Schwyz é também o lar de casas de madeira de 730 anos de idade.

Como explicar que esses edificios não apodreceram e não desapareceram?

Em 2002, Peter Kvernland Thomsen escreveu um livro sobre a construção de casas de madeira, que os Noruegueses chamam 'lafting'. Ele estima que 150 horas de treinamento lhe darão as habilidades básicas necessárias para essa técnica de construção milenar.

Na Noruega, as casas de toras eram o tipo de construção mais comum durante toda a Idade Média. Conceitualmente, a casa de toras é simples, robusta e agradável.

40% da Noruega continental é floresta e os construtores, muitas vezes altamente qualificados, tinham uma abundância de materiais de construção.

No entanto, se você quer que sua casa dure um milênio, então você precisa de mais do que apenas conhecimento de como construir sua casa. Começa com a qualidade das árvores que você seleciona e com os seus esforços na preparação de troncos de árvores. É aí que reside o grande segredo da longevidade.

O tipo preferido de madeira é o pinheiro, mas você também pode usar o abeto norueguês. Os troncos são normalmente grandes, retos e regulares.

O construtor inicia o processo percorrendo a região selecionando as árvores a serem usadas. De preferência em uma encosta sul. A melhor opção é obter o máximo de madeira possível em um só lugar.

Árvores mais velhas e de crescimento lento - com uma boa quantidade de espaço ao redor delas - são as melhores. Elas naturalmente têm um alto nível de resina, que age como um conservante, impedindo que a madeira apodreça.

No passado, eles estavam preparando árvores enquanto ainda estavam na floresta. Muitas vezes, ao longo de vários anos.

Com os ramos, o topo foi cortado - para limitar o transporte de fluido através da madeira. Então a casca foi removida - ao redor do tronco - um pouco menos de um metro por ano - a partir da base; preferencialmente durante a estação das geadas. Para melhores resultados, esse processo continuou por sete anos ou mais.

Ao danificar o tronco desta maneira, a árvore encheu todas as partes da madeira da resina, tentando se reparar.

O resultado final - muitas vezes chamado de pinho mineral ou pinho seco - é o material que você costuma encontrar em muitos edifícios antigos de madeira - na Noruega e em outras partes do mundo. Madeira que durará mil anos ou mais.

Ler em contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria Idade Média publicadas no site.

Os Maias na origem de um desastre ecológico duradouro?
21 de agosto de 2018

Os Maias na origem de um desastre ecológico duradouro?

Os Maias teriam esgotado os solos mexicanos, levando a cabo um extenso desmatamento bem antes da chegada dos Europeus, segundo um estudo de Montreal divulgado em agosto de 2018. Esse impacto negativo nos solos ainda seria sentido quase 1000 anos após o desaparecimento dessa cultura …

11 de agosto de 2018

Secas extremas estão na origem do colapso maia

Secas extremas estão na origem do colapso maia

Novos dados confirmam o papel do clima no desaparecimento da civilização maia clássica.

O mundo maia fascina e as causas de seu colapso também. Desde quase três décadas, os especialistas vêm tentando entender melhor por que essa sociedade complexa, que se estendia por um território que cobre o atual México, Guatemala, Belize e Honduras com as suas imponentes cidades e colossais pirâmides de degraus, como Tikal (Guatemala) ou Calakmul (México), de repente começou a entrar em colapso. Entre as hipóteses tangíveis mais citadas estão as mudanças importantes nas condições ambientais. Em particular, uma fragilização devido a secas repetidas ao longo de vários anos. E essas mudanças climáticas correlacionadas às transformações sociopolíticas acabam de ser especificadas …