Naufrágios antigos descobertos no mar Egeu contam a história das rotas comerciais

Tradução de Nicolas Drouvot, 12 de outubro de 2018, referindo-se à noticia de Vassilis Triandafyllou, Idyli Tsakiri (11/10/18) no site https://www.reuters.com

Os ânforas são vistos no fundo do mar em um local do naufrágio na ilha de Fournoi, Grécia.

Os ânforas são vistos no fundo do mar em um local do naufrágio na ilha de Fournoi, Grécia, o 15 de setembro de 2018. Vassilis Mentogiannis/Hellenic Ephorate of Underwater Antiquities/Handout via REUTERS.

Creditos das fotos: REUTERS/Alkis Konstantinidis.

Creditos das fotos: REUTERS/Alkis Konstantinidis.

Creditos das fotos: REUTERS/Alkis Konstantinidis.

Creditos das fotos: REUTERS/Alkis Konstantinidis.

Creditos das fotos: REUTERS/Alkis Konstantinidis.

Creditos das fotos: REUTERS/Alkis Konstantinidis.

Click!FOURNI, Grécia (Reuters) - Arqueólogos gregos descobriram pelo menos 58 naufrágios de navios, muitos deles da Antiguidade clássica no que poderia ser a maior concentração de naufrágios antigos já encontrados no mar Egeu e provavelmente em todo o Mediterrâneo.

Os naufrágios estão no pequeno arquipélago de Fournoi, no Mar Egeu oriental, e cobrem um período imenso da Grécia antiga até o século XX. A maioria é datada das épocas grega, romana e bizantina.

Embora os naufrágios sejam às vezes encontrados juntos no mar Egeu, nunca até agora foram encontrados naufrágios em número tão grande em um local do mar Egeu.

Os especialistas dizem que serão capazes de contar as histórias fascinantes desses navios carregados, atravessando o Mar Egeu, o Mediterrâneo e o Mar Negro, encontrando seus destinos durante tempestades súbitas neste ambiente cercado por penhascos rochosos.

"A excitação é difícil de descrever, é incrível. Sabíamos que havíamos descoberto algo que mudaria os livros de História ", disse o Arqueólogo Subaquático e codiretor do projeto de pesquisa Fournoi, Dr. Peter Campbell da RPM Nautical Foundation.

A fundação está colaborando no projeto com a equipe grega Ephorate of Underwater Antiquities, que conduz a pesquisa.

Quando a equipe internacional iniciou a pesquisa submarina em 2015, ficou espantada ao encontrar 22 naufrágios naquele ano. Com suas últimas descobertas, esse número subiu para 58 e a equipe acha que ainda há outros segredos ficando ainda no fundo do mar.

"Eu diria que é provavelmente uma das principais descobertas arqueológicas do século, no sentido de que agora temos uma nova história para contar sobre uma rota marítima que ligava o antigo Mediterrâneo", disse Campbell à Reuters.

Os recipientes recuperados e seus conteúdos dão uma imagem dos navios transportando mercadorias através dos itinerários marítimos do Mar Negro, Grécia, Ásia Menor, Itália, Espanha, Sicília, Chipre, Levante, Egito e Norte da África.

A equipe coletou mais de 300 artefatos antigos de naufrágios, incluindo ânforas, oferecendo aos arqueólogos um raro vislumbre de onde os produtos eram transportados pelo Mediterrâneo.

"Noventa por cento dos naufrágios que encontramos no arquipélago de Fournoi carregavam uma carga de ânforas.

"A ânfora é um recipiente usado principalmente para transportar líquidos e semilíquidos nos tempos antigos, então os produtos que as ânforas continham eram principalmente vinho, óleo, molhos de peixe, talvez mel. "disse o Dr. George Koutsouflakis, arqueólogo e diretor do projeto de pesquisa Fournoi do Ephorate of Antiquities Underwater. O molho de peixe da região do Mar Negro na antiguidade era um bem caro, acrescentou.

Eles estavam particularmente entusiasmados com as ânforas descobertas de navios naufragados da época romana tardia, vindos do Mar Negro e do Norte da África, já que as cargas dessas áreas raramente são encontradas em naufrágios no mar Egeu, disse Koutsouflakis.

O mau tempo é a razão mais provável pela qual os navios afundaram na mesma área, disse ele. A área está sujeita a muitas tempestades súbitas e ferozes e é cercada por costões rochosos.

Fournoi era um ponto de parada para os navios passarem a noite durante sua jornada.

"Como há passagens estreitas entre as ilhas, muitos golfos e ventos descendo das montanhas, tempestades súbitas ocorrem.

"Não é por acaso que muitos desses naufrágios foram encontrados nestas passagens... se houver uma mudança repentina na direção do vento, e se o capitão vier de outra região e ele não conhecer as peculiaridades do clima local, ele poderia facilmente perder o controle do navio e atingir as rochas ", disse Koutsouflakis.

Mais tarde, Fournoi foi considerado um paraíso para os piratas, disse Campbell. Os piratas foram atraídos para a região pelo fluxo abundante de navios carregados com cargas ricas. Embora as condições climáticas sejam consideradas a principal razão para esses naufrágios, a pirataria pode ter contribuído em alguns casos, disse ele.

A condição dos naufrágios varia. Alguns estão bem preservados, outros estão em pedaços depois que os navios caíram nas rochas.

"Nós temos naufrágios completamente vazios. Achamos que somos os primeiros a encontrá-los, mas eles estão em águas muito profundas, a uma profundidade de 60 metros. Normalmente a partir de 40 metros, temos naufrágios em bom estado. Qualquer coisa acima de 40 metros perdeu sua consistência ou foi saqueada no passado ", disse Koutsouflakis.

A equipe de investigação descobriu naufrágios através de mergulhadores e pescadores locais.

Fournoi é composto por 20 pequenas ilhas, ilhotas e recifes localizados entre as maiores ilhas Ikaria, Patmos e Samos. A população não atinge mais de 1.500 pessoas, principalmente localizadas na ilha principal de Fournoi.

A equipe, que inclui arqueólogos, arquitetos, restauradores e mergulhadores, quer criar um centro de arqueologia subaquática em Fournoi para estudantes, bem como um museu local para armazenar suas descobertas.

[Sobre naufrágios na Antiguidade, veja também a noticia: Artefatos militares excepcionais descobertos no local de uma batalha naval da Primeira Guerra Punica]

Ler o texto considerado no seu contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria Roma imperial publicadas no site.

23 de agosto de 2018

O abraço dos dois imperadores

O abraço dos dois imperadores

Uma cena romana esculpida em pedra descoberta na Turquia mostra dois personagens entrelaçados. Seriam dois imperadores. Em 1999, um terrível terremoto atingiu a Turquia e matou mais de 17 mil pessoas. Seu epicentro está localizado não muito longe da antiga Nicomédia, que foi capital do Império Romano …

Antiguidade: Uma cabeça de cavalo de ouro foi desenterrada na Alemanha
24 de agosto de 2018

Antiguidade: Uma cabeça de cavalo de ouro foi desenterrada na Alemanha

Uma cabeça de cavalo de ouro e outros achados no sítio de Waldgirmes sugerem que os Romanos tinham uma relação surpreendente com as tribos que viviam ao longo da fronteira norte do Império. Depois de quase dez anos de disputas legais, a cabeça de um cavalo em tamanho real …

20 de agosto de 2018

Arqueólogos descobrem a biblioteca mais antiga da Alemanha

Arqueólogos descobrem a biblioteca mais antiga da Alemanha

Escavações arqueológicas realizadas antes da construção de um local de culto protestante levaram à descoberta de um edifício romano com nichos intrigantes. Segundo as últimas descobertas, seria uma biblioteca tendo abrigado quase 20.000 manuscritos.

Um dos mistérios de Colônia está sendo resolvido? Escavações preventivas revelaram as fundações de um antigo prédio na Renânia do Norte-Vestefália no ano passado. Agora sabemos a natureza exata deste edifício romano. Os arqueólogos anunciaram que era uma biblioteca construída pelos Romanos entre 150 e 200 dC, ao sul do Fórum da cidade. As paredes foram descobertas pela primeira vez em 2017, durante uma escavação sob o terreno de um templo protestante no centro da cidade.

Os arqueólogos rapidamente estabeleceram a origem romana do edifício. Mas a presença nas paredes de cavidades medindo cerca de 80 cm por 50 cm surpreenderam os especialistas. "Os nichos eram pequenos demais para levar estátuas …