Nossos cães compartilharam uma origem comum desde a pré-história

Traduzido por N.D., 10 de julho de 2018, referindo-se ao artigo de Sciences et Avenir do 20/07/17 para https://www.sciencesetavenir.fr

De acordo com um estudo publicado em 18 de julho de 2017, os cães compartilharam a mesma origem

De acordo com um estudo publicado em 18 de julho de 2017, os cães compartilharam a mesma origem / Domínio Público - Pixabay

Os cães viriam da mesma população de lobos domesticados há 20.000 ou 40.000 anos atrás, de acordo com um estudo publicado em 18 de julho de 2017 na revista Nature Communications. O que reconsiderar seu pequeno poodle. O lobo entrou em nossas casas...

"Nossos dados mostram que todos os cães modernos espalhados pelo mundo foram domesticados a partir de uma única população de lobo", diz Krishna Veeramah, da Universidade Estadual de Nova York, Stony Brook, co-autor do estudo.

Estudos sobre as origens disputadas do cão são numerosos e as hipóteses são controversas. De acordo com uma dessas hipóteses, os humanos domesticaram cães pela primeira vez na Europa há mais de 15.000 anos. Outros pesquisadores localizaram essa domesticação no leste da Ásia há pelo menos 12.500 anos. Um estudo publicado em 2016 falou da domesticação de cães em dois locais distintos, a partir de matilhas de lobos na Europa e na Ásia.

Baseado em índices genéticos, este novo estudo sugere uma origem geográfica única de cães domésticos. A partir do DNA de dois cães antigos encontrados na Alemanha, um de 7000 anos (o cão mais velho a ser sequenciado até o momento) e outro de 4700 anos, uma nova hipótese surgiu.

Estes dois cães viviam no Neolítico, período que marca o início da agricultura e pecuária. Contudo, o genoma dos dois velhos cachorrinhos europeus é semelhante ao dos cães de hoje, sugerindo uma origem geográfica única de cães domésticos. Se o estudo colocar essa domesticação entre 20.000 e 40.000 anos atrás, "infelizmente, ainda não sabemos onde isso aconteceu", diz Krishna Veeramah.

Domar o cão, um animal carnívoro e potencialmente perigoso, não foi feito em poucos dias. O processo de domesticação certamente foi "difícil", diz o pesquisador. "A hipótese atual é que esse processo apareceu passivamente de uma população de lobos vivendo na periferia de acampamentos de caçadores-coletores e se alimentando de resíduos produzidos por humanos", diz ela.

A hipótese seria que os menos agressivos teriam desenvolvido uma relação especial com os homens. É essa população ancestral de cães, única, que depois se espalharia pelo planeta, provavelmente com o gosto dos deslocamentos humanos. "E há 7.000 anos, eles estavam em quase toda parte", diz ela, embora eles possam ter vivido em liberdade ao redor das aldeias e não diretamente nas casas. Hoje, estamos de fato abrigando o lobo...

Ler em contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria Primeiros hominídeos publicadas no site.

Nossos cães compartilharam uma origem comum desde a pré-história
10 de julho de 2018

Nossos cães compartilharam uma origem comum desde a pré-história

Os cães viriam da mesma população de lobos domesticados há 20.000 ou 40.000 anos atrás, de acordo com um estudo publicado em 18 de julho de 2017 na revista Nature Communications. O que reconsiderar seu pequeno poodle. O lobo entrou em nossas casas …

Os primeiros Europeus eram canibais
18 de junho de 2018

Os primeiros Europeus eram canibais

Restos fossilizados atribuídos aos "primeiros Europeus" descobertos no depósito de Atapuerca, na Espanha, revelaram que esses homens pré-históricos eram canibais que apreciavam a carne de crianças e adolescentes. "Sabemos que eles praticavam o canibalismo", diz José Maria Bermúdez de Castro, um dos co-diretores do projeto Atapuerca …

7 de junho de 2018

Uma civilização vegetal desconhecida no sudeste da Ásia?

Uma civilização vegetal desconhecida no sudeste da Ásia?

Grande caçador-coletor das florestas equatoriais durante a Pré-História, o Homo sapiens, uma vez estabelecido no sudeste da Ásia, teria ele matado e cortado animais com pedregulhos grosseiros em vez de objetos pontiagudos? Seria uma façanha. Ou ele expressou seu gênio tomando outro caminho, efêmero, mas fascinante: o da planta? É uma teoria que o pré-histórico Hubert Forestier, do Museu Nacional de História Natural, vem desenvolvendo há vários anos. Ele compartilha isso conosco na véspera de uma emocionante missão à Papua Nova Guiné.

A história do homem é de uma tremenda conquista. Deixando o berço africano cerca de 200.000 anos antes do presente, o Homo sapiens completa …