Os primeiros Europeus eram canibais

Traduzido por N.D., 18 de junho de 2018, referindo-se ao artigo do 21/06/09 para http://www.lalibre.be

Os ossos foram encontrados em um sítio arqueologicà centrado em torno de um complexo de cavernas na Espanha

Os ossos foram encontrados em um sítio arqueologicà centrado em torno de um complexo de cavernas na Espanha (Crédito: JM Berm, Dez de Castro / MNCN).

Reconstituição de um indivíduo de sexo feminino de Homo antecessor praticando o canibalismo

Reconstituição de um indivíduo de sexo feminino de Homo antecessor praticando o canibalismo

Click!Restos fossilizados atribuídos aos "primeiros Europeus" descobertos no depósito de Atapuerca, na Espanha, revelaram que esses homens pré-históricos eram canibais que apreciavam a carne de crianças e adolescentes.

"Sabemos que eles praticavam o canibalismo", diz José Maria Bermúdez de Castro, um dos co-diretores do projeto Atapuerca, um dos depósitos mais importantes da Europa, que em 2000 se tornou Patrimônio da Humanidade da Unesco.

O estudo dos restos também revelou que eles se entregavam à antropofagia por comida e não como um ritual, que comiam seus rivais depois de matá-los, principalmente seus filhos e adolescentes.

"Este é o primeiro caso de canibalismo bem documentado na história da humanidade, o que não significa que seja o mais antigo", diz ele, apoiando as primeiras informações já divulgadas sobre o assunto. . "Restos descobertos no depósito de 'Gran dolina' apareceram espalhados, quebrados, fragmentados, misturados com restos de outros animais, como cavalos, veados, rinocerontes, todos os tipos de animais produzidos a partir da caça" e consumida por humanos, segundo de Castro. "Esses fósseis, como os animais, também tinham marcas de faca de pedra, de desmembramento, reunindo todos os elementos característicos de uma acumulação de ossos usados por seres humanos", explicou ele. "Isso nos dá uma ideia de um canibalismo de tipo gastronômico, e não ritual, porque eles não tinham a capacidade simbólica que tem o ser humano de hoje", acrescenta ele.

Os restos fossilizados, encontrados desde 1994 em Gran dolina, correspondem provavelmente aos primeiros seres humanos que se desenvolveram na Europa, batizados de "Homo antecessor". O Homo antecessor, que viveu antes dos Neandertais e do Homo sapiens, se instalou há cerca de 800 mil anos nas cavernas de Atapuerca, provavelmente depois de uma longa migração da África para o Oriente Médio, daí para o Norte da Itália e para a França.

Não escolheu por acaso esta área de 13 km2 localizada numa área "privilegiada" do norte da Península Ibérica, na confluência de dois rios, com um clima agradável e rico em flora e fauna, segundo o Sr. de Castro. Ele tinha bastante água e comida, podia caçar javalis, cavalos, veados, "o que significa que eles não praticavam o canibalismo por causa da necessidade de comida". "Eles mataram seus rivais e se aproveitaram da carne", diz de Castro, depois de analisar os restos de onze aparentes vítimas. "Nós também descobrimos dois níveis com restos canibalizados, o que significa que não é um canibalismo pontual, mas contínuo ao longo do tempo", segundo este arqueólogo entre os mais famosos da Espanha.

"Outro aspecto interessante, que ainda não explicamos totalmente, é que a maioria dos onze indivíduos identificados como" vítimas "são crianças ou adolescentes. "Achamos que há também dois jovens adultos, incluindo uma mulher, o que significa que eles estavam matando a base da pirâmide demográfica do grupo", disse o pesquisador.

Atapuerca, localizado nas fronteiras da Eurásia, permitiu ao Homo antecessor desenvolver "uma herança genética isolada", com traços característicos, tanto arcaicos quanto modernos. Além de caçar, ele praticava coleta, fazia ferramentas. A paisagem era então caracterizada por áreas de floresta, carvalhos, castanheiros, zimbros, com prados, incluindo ursos, linces, panteras, raposas e hienas.

Ler em contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria Primeiros hominídeos publicadas no site.

Uma caverna habitada sem interrupção por nossos ancestrais durante 78.000 anos
25 de maio de 2018

Uma caverna habitada sem interrupção por nossos ancestrais durante 78.000 anos

Provavelmente protegido por um contexto ambiental favorável, no Quênia, o local contém várias dezenas de milhares de objetos que atestam a evolução de nossa espécie. Imagine uma casa de férias grande, ou melhor, um bom resort de férias que seria passado de geração em geração ao longo de um período …

Um crânio de 400 mil anos de idade poderia elucidar a origem dos Neandertais
22 de maio de 2018

Um crânio de 400 mil anos de idade poderia elucidar a origem dos Neandertais

A descoberta em Portugal de um crânio de hominídeo fossilizado com 400.000 anos de idade poderá ajudar a elucidar a evolução dos ancestrais dos Humanos na Europa, bem como a origem dos Neandertais. A descoberta foi publicada no Proceedings of the American Academy of Sciences (PNAS) …

4 de maio de 2018

O homem já estava presente nas Filipinas em 700 000 aC

O homem já estava presente nas Filipinas em 700 000 aC

Uma equipe de pré-historiadores encontrou ossos de animais e ferramentas de pedra lascada, atestando que o Homem já vivia nas Filipinas em 700.000 aC, e não apenas a partir de 70.000 aC. Esta descoberta nos leva a rever a cronologia da conquista do sudeste da Ásia.

Uma equipe internacional de arqueólogos, incluindo Thomas Ingicco do Museu Nacional de História Natural (MNHN), descobriu a mais antiga evidência de povoamento das Filipinas por um representante do gênero Homo, no sítio arqueológico de Kalinga, no norte do arquipélago filipino, na ilha de Luzon, com 709.000 anos de idade. Ao longo do Quaternário (entre -2,6 milhões e -1,5 milhões de anos atrás), as Filipinas formaram uma série de ilhas isoladas do continente por profundas enseadas …