Possíveis sacrifícios humanos em Pömmelte, o "Stonehenge alemão"

Traduzido por N.D., 1 de julho de 2018, referindo-se ao artigo de Tristan Vey do 29/06/18 para http://www.lefigaro.fr
bem como ao artigo de Jason Daley do 29/06/18 para https://www.smithsonianmag.com

Reconstituição do santuário circular de Pömmelte

Reconstituição do santuário circular de Pömmelte (Wikimedia Commons)

Click!Arqueólogos descobriram os restos de 10 mulheres e crianças que podem ter sido sacrificadas em Pömmelte, um círculo neolítico de 4.300 anos.

Descoberto com um voo de avião logo após a queda do Muro de Berlim em 1991, ao sudoeste da cidade, o santuário circular de Pömmelte é, em certo sentido, o "Stonehenge alemão". Em mais discreto. Os círculos concêntricos não são de fato materializados pela imposição de rochas como na Grã-Bretanha (o que explica sua descoberta tão tarde). De acordo com os arqueólogos, o local foi provavelmente feito de estruturas de madeira, agora desaparecidas (que agora foram restauradas), que também lhe valeram o apelido de "Woodhenge".

Embora os dois locais sejam separados por 1000 km um do outro e a versão alemã tenha sido erguida 500 anos depois (em 2300 aC), eles provavelmente participam do mesmo tipo de ritos, de acordo com os dois principais especialistas do lugar, André Spatzier do Serviço de Estado Alemão para a Gestão do Património Cultural de Baden-Württemberg e François Bertemes da Universidade Martin Luther de Halle-Wittenberg.

É bastante claro que o lugar não foi habitado, explicam eles. Consistia de sete círculos concêntricos, 115 metros de diâmetro para o maior a 47 metros para o menor, formado por buracos ou trincheiras de vários tamanhos.

Treze outros corpos, apenas homens desta vez, foram encontrados a leste do local. Desta vez, pelo contrário, foram enterrados com grande cuidado, as cabeças voltadas para o leste, como se para poder ver o sol nascer. No entanto, eles não foram acompanhados por nenhum artefato. Arqueólogos se inclinam para um enterro simbólico de pessoas importantes.

A razão para a diferença no tratamento entre os enterros não pode ser conhecida com certeza, mas o comunicado de imprensa escreve que "a natureza de gênero das vítimas adultas e a natureza ritual de outros depósitos fazem [o sacrifício ritual] um cenário provável".

O local parece ter sido usado por quase 300 anos, até 2050 aC, antes de ser totalmente desmontado. Por exemplo, os buracos nos quais os polos foram afundados estavam cheios de cinzas, provavelmente os próprios polos que foram queimados de acordo com um ritual misterioso.

O uso ritual do local e as suas datas o ligam a Stonehenge e outros círculos neolíticos na Grã-Bretanha, bem como o próprio Woodhenge da Inglaterra (ndlr, localizado a 3,2 km ao nordeste de Stonehenge). Isso levanta a possibilidade de que a construção dessas estruturas circulares não se limita às Ilhas Britânicas, mas se espalhou pela Europa, talvez antes mesmo de cruzar o Canal da Mancha. "Eu diria que é certamente apropriado reconsiderar a ideia de que a Grã-Bretanha na época era um caso muito especial", afirma a arqueóloga Daniela Hofmann, da Universidade de Hamburgo.

Mas existem diferenças. Ao contrário do recinto de Pömmelte, não há atualmente nenhuma evidência de que sacrifícios humanos tenham ocorrido em Stonehenge, pelo menos por seus construtores originais, embora haja um esqueleto masculino que possa mostrar sinais de morte ritual. E Stonehenge era importante o suficiente para atrair pessoas de longe para seus rituais. Os pesquisadores descobriram que pessoas - e comida - de toda a Grã-Bretanha e das partes mais remotas da Escócia vieram ao local, e os restos de um homem dos Alpes, bem como mercadorias de França, Europa Central e até mesmo da Turquia foram encontrados no local.

Essas descobertas excepcionais lançam nova luz sobre outros locais semelhantes, mas muito menores, descobertos no resto da Europa continental. Sua natureza ritual não parece fazer muita dúvida, confirmando que Stonhenge provavelmente não era um caso isolado. Isso parece mostrar que as populações europeias da época, vivendo entre o Neolítico e a Idade do Bronze, provavelmente compartilhavam mais elementos culturais do que se imaginava anteriormente.

Ler em contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria pre-historia publicadas no site.

Evidência de antigo sacrifício de crianças descoberto na Turquia
29 de junho de 2018

Evidência de antigo sacrifício de crianças descoberto na Turquia

Restos de crianças e adolescentes sacrificados ritualmente foram descobertos na Mesopotâmia da Idade do Bronze. Liderada pela Dra. Brenna Hassett, colaboradora científica do Museu, uma equipe examinou as práticas funerárias em Başur Höyük, um cemitério da idade do bronze na Turquia …

Traços da grande erupção vulcânica de Santorini descobertos em Esmirna
11 de junho de 2018

Traços da grande erupção vulcânica de Santorini descobertos em Esmirna

Traços de uma das maiores erupções vulcânicas da história da humanidade foram descobertos no coração do distrito de Bayrakli, em Esmirna, onde os restos da antiga cidade fundada há 5000 anos foram descobertos. Esmirna era uma importante cidade portuária e um posto avançado comercial …

O disco de Nebra: a representação mais antiga do espaço
25 de junho de 2018

O disco de Nebra: a representação mais antiga do espaço

O Disco do céu de Nebra é um disco de bronze de 3600 anos que, segundo a UNESCO, apresenta "a primeira representação concreta dos fenômenos cósmicos no mundo". O disco é uma peça tão extraordinária que foi originalmente pensado para ser uma falsificação arqueológica …

10 de junho de 2018

Arqueólogos indianos descobrem carroças e armas da Idade do Bronze, indicando uma antiga classe de guerreiros

Arqueólogos indianos descobrem carroças e armas da Idade do Bronze, indicando uma antiga classe de guerreiros

Arqueólogos na Índia afirmam ter descoberto restos de carroças puxados por cavalos de 4.000 anos de idade, o que eles dizem ser a primeira evidência de uma "classe de guerreiros" da mesma forma que outras civilizações antigas.

Os vestígios foram encontrados em um local de escavação do 'Archaeological Survey of India (ASI) na vila de Sinauli, cerca de 70 quilômetros ao norte de Nova Deli, onde oito enterros e artefatos, incluindo espadas e adagas, também foram encontrados. Os pesquisadores disseram que desenterraram três carroças em câmaras funerárias que datam de entre 2000 e 1800 aC, durante a Idade do Bronze …