Relíquias romanas encontradas na região do Reno mostram evidências de uma revolta sangrenta

Por N.D., 3 de maio de 2018, referindo-se ao artigo de DPA/The Local do 2/05/18 para www.thelocal.de

Um dos antigos capacetes romanos encontrados na recente escavação em Krefeld

Um dos antigos capacetes romanos encontrados na recente escavação em Krefeld. Foto: DPA

Click!Na cidade de Krefeld, na Renânia do Norte-Vestfália, uma escavação arqueológica recente revelou milhares de relíquias antigas. Estas descobertas contam a turbulenta história romana da região.

Dezenas de milhares de objetos foram encontrados em areia e barro perto do Reno, anunciaram arqueólogos em Krefeld em abril.

Uma recente escavação de 10 meses ao longo do Reno revelou uma quantidade sem precedentes de vestígios romanos, incluindo centenas de moedas, armas, esqueletos de cavalos, joias, capacetes e uma fivela de cinto decorada de um soldado. Embaladas em caixas, as relíquias cobrem mais de 75 metros cúbicos.

Na pequena cidade nos arredores de Düsseldorf, foram encontradas cerca de 6.500 sepulturas datadas de 800 aC a 800 dC, que muitas vezes continham valiosos objetos funerários. É um dos maiores cemitérios antigos ao norte dos Alpes. "Levará anos para estudar tudo isso", disse a arqueóloga Jennifer Morscheiser, que integrou a equipe que descobriu os artefatos romanos.

Estas relíquias apontam para uma parte da história romana relacionada com a região do Reno, na Alemanha, incluindo uma sangrenta revolta e a subsequente presença militar romana.

A meio caminho entre as antigas cidades de Neuss e Xanten no Baixo Reno, os Romanos estabeleceram um acampamento militar no que hoje é Krefeld por volta de 69 dC.

Diretamente na fronteira do Império Romano, a área foi escolhida devido à sua localização estratégica em uma pequena colina em frente a uma importante rota comercial para a Alemanha. Os Romanos tinham chamado o lugar de Gelduba. Hoje, este distrito de Krefeld é chamado Gellep.

O famoso historiador Tácito foi o primeiro a mencionar Gelduba, que foi palco de uma gigantesca batalha entre Romanos e Batavos em 69 dC, quando o príncipe germano-batavo Iulius Civilis iniciou uma revolta contra os Romanos na região do Reno. Cerca de 20.000 homens - Romanos e Batavos - lutaram em Gelduba.

Os mais de 300 esqueletos de cavalos recuperados por arqueólogos durante as escavações recentes são provavelmente lembranças desta batalha gigantesca e são preservados no museu de Krefeld em Burg Linn como um testemunho desta carnificina.

Segundo o arqueólogo Krefeld Hans-Peter Schletter, essas relíquias da batalha são algo especial: "Este é um dos poucos casos em que a arqueologia e as fontes históricas concordam".

Após este massacre sangrento, o exército romano construiu um forte militar na cidade e permaneceu até o início do quinto século. Durante esse tempo sob o domínio romano, Krefeld era frequentemente visitado por tropas auxiliares da Espanha, que bebiam vinho de sua terra natal e até construíam uma piscina aquecida no terreno do arsenal.

Durante as escavações mais recentes, 30 especialistas, estudantes e assistentes examinaram 37.000 metros quadrados por mais de 10 meses.

Os destaques de suas descobertas arqueológicas serão exibidos no Museu Burg Linn a partir de outubro de 2019. Estes incluirão relíquias da batalha e do acampamento militar subsequente, como capacetes de soldados romanos, urnas da idade do ferro, uma oficina romana de bronze ou até mesmo a reconstrução de um grande forno para fabricação de cerâmica.

Ler em contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria Roma imperial publicadas no site.

Neste mapa antigo, todos os caminhos levavam realmente à Roma
11 de abril de 2018

Neste mapa antigo, todos os caminhos levavam realmente à Roma

A Tábua Peutinger dá a ver a imensidão do Império Romano e o poder de Roma que aparece como o centro do mundo. Se a Tabula Peutingeriana não tem nada a ver com os contornos nítidos de um mapa contemporâneo da região, dá um vislumbre da visão que os Romanos tinham do império em cujo centro …

Os afrescos de Dura-Europos, as primeiras imagens cristãs
25 de dezembro de 2017

Os afrescos de Dura-Europos, as primeiras imagens cristãs

Descobertos em 1920 na Síria por escavações franco-americanas, os afrescos de Dura-Europos são as mais antigas representações conhecidas de Cristo. Apresentados na exposição "Cristãos do Oriente, 2000 anos de história", dois afrescos excepcionais, preservados na Yale University Art Gallery de …

27 de abril de 2018

Arqueólogos suecos descobrem um massacre brutal do século V d.C.

Arqueólogos suecos descobrem um massacre brutal do século V d.C.

Uma pesquisa de três anos revelou a violência chocante experimentada pelos moradores da vila costeira de Sandby Borg, um forte circular (ringfort).

Arqueólogos na Suécia encontraram evidências impressionantes de um massacre ocorrido há mais de 1.500 anos, quando os habitantes de uma pequena vila foram massacrados em suas casas ou quando fugiram para a rua, e seus corpos foram deixados no chão, apodrecendo no lugar onde eles caíram - com seus tesouros, incluindo joias finas e moedas de ouro romanas.

Até agora, os pesquisadores identificaram os restos mortais de pelo menos 26 pessoas que foram abatidas. Em Sandby Borg, na costa da ilha de Öland, na costa sudeste da Suécia, não havia como fugir …