Uma faca de osso de 90.000 anos sugere que ferramentas especializadas surgiram cedo na África

Tradução de Nicolas Drouvot, 6 de outubro de 2018, referindo-se à noticia de Bruce Bower (3/10/18) no site https://www.sciencenews.org

A descoberta de uma faca de 90 mil anos feita de osso animal (mostrada aqui de ambos os lados) em Marrocos aponta para um antigo surgimento de ferramentas especializadas no norte da África

A descoberta de uma faca de 90 mil anos feita de osso animal (mostrada aqui de ambos os lados) em Marrocos aponta para um antigo surgimento de ferramentas especializadas no norte da África / © Trustees of the Natural History Museum, London (2018), S. Bello and Mohammed Kamal (Fotokam, Morocco.

Mapa de sítios arqueológicos pré-históricos no Marrocos

Mapa de sítios arqueológicos pré-históricos no Marrocos. A região de Témara (2) inclui os locais vizinhos de El Mnasra, El Harhoura 1 e 2, Dar es-Soltan 1 e 2 e La Grotte de Contrebandiers / Nina Dörschner.

Click!Arqueólogos encontraram a ferramenta em uma caverna costeira em Marrocos.

A Idade da Pedra na África também era uma Idade do Osso.

Segundo os cientistas, os antigos africanos empurraram as ferramentas de ossos para um nível mais alto, cerca de 90.000 anos atrás, fazendo facas afiadas a partir das costelas dos animais. Anteriormente, as ferramentas ósseas serviam como dispositivos de corte mais simples e versáteis.

Os membros da cultura ateriana do norte da África, nascida há cerca de 145 mil anos, começaram a fabricar facas afiadas, à medida que peixes e outros frutos do mar se tornavam cada vez mais alimentos básicos, sugeriram os pesquisadores em 3 de outubro em PLOS ONE. Essa nova descoberta apoia a visão de que o planejamento estratégico para a sobrevivência e as mudanças na fabricação de ferramentas surgiram muito antes na evolução humana do que tradicionalmente se supunha.

As escavações na caverna Dar es-Soltan 1, perto da costa atlântica do Marrocos, trouxeram à luz a faca de osso em 2012, disse uma equipe liderada pelo geoarqueólogo Abdeljalil Bouzouggar, do Instituto Nacional das Ciências da Arqueologia e do Patrimônio em Rabat, Marrocos, e pela antropóloga biológica Silvia Bello, do Museu de História Natural de Londres. A base da faca e sua ponta quebrada foram incorporadas em sedimentos que datam de cerca de 90.000 anos.

Para fazer a faca, os humanos antigos primeiro removeram uma parte das costelas de um animal do tamanho de uma vaca e cortaram-na ao meio no sentido do comprimento. Os fabricantes de ferramentas então rasparam e lascaram uma das metades para obter uma forma de faca de cerca de 13 centímetros de comprimento.

Pequenos danos indicam que os Aterianos usaram a faca principalmente para cortar materiais macios, como couro, diz Bello. "Seja qual for o seu uso, esta ferramenta foi produzida por fabricantes muito competentes."

Duas outras ferramentas ósseas em forma de faca encontradas anteriormente em outro local ateriano no Marrocos não têm estimativas precisas de idade, mas têm aproximadamente a mesma idade que a descoberta de Dar es-Soltan 1, dizem os pesquisadores.

Ferramentas especializadas em ossos descobertas há mais de 20 anos na África Central também datam de 90.000 anos (SN: 29/04/95, 260). Por esse mesmo tempo, outras partes da África revelaram mudanças na fabricação de ferramentas de pedra e e outros comportamentos (SN: 10/13/18, p.6).

[Sobre isso, veja por exemplo o artigo: Em uma caverna na África do Sul, um desenho antigo de 73 mil anos]

Ler o texto considerado no seu contexto

Ultimas noticias

Algumas noticias recentes sobre a categoria Primeiros hominídeos publicadas no site.

31 de agosto de 2018

Arrefecimentos climáticos teriam precipitado a queda do Neandertal

Arrefecimentos climáticos teriam precipitado a queda do Neandertal

Variações climáticas podem ter enfraquecido a situação de nosso "primo" há pouco mais de 40 mil anos, quando nossos ancestrais começaram a conquistar a Europa.

Por milhares de anos, a espécie em que todos pertencemos, o Homo sapiens, coexistiu na Europa com uma outra, o Homo neandertalensis, também inteligente e sofisticada, como inúmeros estudos o demonstraram nos últimos anos.

Mas esses parentes, os mais próximos que já tivemos, desapareceram há 40 mil anos da face da Terra, em favor de nosso ancestral Homo sapiens, deixando-nos uma pequena parte de seu genoma como herança. Por que os Neandertais não tiveram sucesso é um dos mais fascinantes mistérios científicos da evolução humana. Se eles eram tão parecidos conosco, a ponto de cozinharem, caçarem em grupo, enterrarem seus mortos e até criarem arte, o que os levou à extinção? …